teatro meia volta
e
depois à esquerda
quando eu disser
o público
vai ao
teatro

Nacional-Material, Paisagem com Argonautas / Alfredo Martins / Luís Godinho / 2011

alfredo martins nacional material 1

Nacional-Material, Paisagem com Argonautas - © Alípio Padilha

1 / 6

Nacional-Material, Paisagem com Argonautas - © Alípio Padilha

1 / 6

Nacional-Material, Paisagem com Argonautas - © Alípio Padilha

1 / 6

Nacional-Material, Paisagem com Argonautas - © Alípio Padilha

1 / 6

Nacional-Material, Paisagem com Argonautas - © Alípio Padilha

1 / 6

Nacional-Material, Paisagem com Argonautas - © Alípio Padilha

1 / 6

“[Nacional-Material, Paisagem com Argonautas] é uma pequena pérola da dramaturgia e um exercício que foge a qualquer estereotipada construção sobre os estereótipos.”

 Tiago Bartolomeu Costa, P2, 07/07/2011

 

O acolhimento de estrangeiros dentro das fronteiras políticas de um Estado raramente gera consenso. Heranças coloniais, processos de racialização, juízos de utilidade estratégica, nacionalismos extremados, discriminação étnica – estes são alguns dos aspectos em constante negociação. Fenómenos recentes como os golden visa e o aumento dos imigrantes idosos europeus em Portugal ou a crise de refugiados do Médio Oriente e do Norte de África e a escalada das extremas-direitas europeias são faces da mesma moeda e atestam a tensão que envolve este assunto.

Nacional-Material, Paisagem com Argonautas é um espectáculo-debate que aborda o tema da imigração e integração de estrangeiros e seus descendentes nos países de acolhimento. 

Os espectadores são convidados a integrar uma Assembleia onde se discute a possibilidade de uma mulher estrangeira permanecer naquele país: o país é Corinto; a Assembleia denomina-se ADHIDI – Assembleia Deliberativa de Heróis para a Integração e o Diálogo Intercultural; a mulher é Medeia. Seguindo os procedimentos regulamentares, lançam-se argumentos a favor e contra a permanência desta mulher em Corinto e estende-se a discussão ao público. 

Ensaia-se, aqui, uma Ágora, conquistando-se para o Teatro esta dimensão de debate, bem como a possibilidade de testar os limites do poder do espectador no interior de um espectáculo.

EQUIPA ARTÍSTICA

Direcção e concepção do espaço cénico – Alfredo Martins
Co-criação – Alfredo Martins, Bernardo de Almeida, Cláudia Gaiolas, Ivo Serra, Luís Godinho, Margarida Carvalho
Interpretação – Alfredo Martins, Bernardo de Almeida, Luís Godinho, Margarida Carvalho
Vídeo – Ivo Serra
Apoio dramatúrgico – Sandra Marques
Produção executiva – Meninos Exemplares

CO-PRODUÇÃO

teatro meia volta e depois à esquerda quando eu disser, Teatro Nacional D. Maria II

ESTREIA

Julho de 2011, Teatro Nacional D. Maria II, Lisboa – Festival de Almada

CIRCULAÇÃO

Outubro de 2014, Teatro Viriato, Viseu
Fevereiro de 2015, Espaço Cultural Sérgio Porto, Rio de Janeiro, Brasil
Março de 2015, SESC Belenzinho, São Paulo, Brasil – Ocupação Mirada
Setembro de 2017, Mosteiro de São Bento da Vitória/Teatro Nacional São João, Porto – Ocupação Días Hábiles

TEASER

teatro meia volta
e
depois à esquerda
quando eu disser
o público
vai ao
teatro