teatro meia volta
e
depois à esquerda
quando eu disser
o público
vai ao
teatro

Way to Bobby Heena / Alfredo Martins / 2021 (em criação)

alfredo martins way bobby heena

Way to Bobby Heena - © Alfredo Martins

1 / 1

Em Way to Bobby Heena, Alfredo Martins aborda, tal como em Días Hábiles, a experiência de viajar demoradamente enquanto confronto de um corpo branco, marcado pela sua história pessoal e colectiva, com um território denso e contraditório: a Índia.

Num bairro labiríntico de Jodhpur, lia-se numa parede WAY TO BOBBY HEENA com uma seta a indicar a esquerda. Assim começa – “Onde está Bobby Heena?” é perguntar, hoje e neste mundo globalizado, por Godot. Assumir a necessidade de chorar tudo o que perdemos e cogitar, entre as ruínas do capitalismo tardio, possibilidades de recuperação parcial. Procurar Bobby Heena é tentar responder à pergunta “qual é o futuro?”, procurando nestes lugares visitados marcas de morte e de renascimento.

EQUIPA ARTÍSTICA

Direcção artística e interpretação – Alfredo Martins
Desenho de luz – Rui Monteiro

CO-PRODUÇÃO

teatro meia volta e depois à esquerda quando eu disser, São Luiz Teatro Municipal

RESIDÊNCIA DE CO-PRODUÇÃO

O Espaço do Tempo

ESTREIA

Outubro de 2021, São Luiz Teatro Municipal, Lisboa

teatro meia volta
e
depois à esquerda
quando eu disser
o público
vai ao
teatro